Esta é uma versão desatualizada publicada em 2022-06-10. Leia a versão mais recente.

INVESTIGAÇÃO APLICADA À GESTÃO DE RISCO GEOLOGICO-GEOTECNICO, PARA FINS DE PLANEJAMENTO URBANO. CASO PILOTO: "EROSÃO NA CIDADE DE SÃO CARLOS"

Autores

Palavras-chave:

Caracterização Geotécnica, Correlações Empíricas, Erosão Linear

Resumo

 A necessidade de aprofundar a análise dos processos geológicos, de origem combinada (naturais-antropogênicas), em áreas urbanizadas exige a revisão constante das metodologias a serem utilizadas. Nesse sentido a presente pesquisa tive como objetivo a construção de uma proposta metodológica de inserção de dados geotécnicos de subsolo na elaboração de uma carta de suscetibilidades a processos de erosivos lineares, em uma microbacia da cidade de São Carlos-SP, como ferramenta fundamental na gestão de riscos em áreas urbanas.

Incialmente foi feita uma avalição evolutiva das metodologias de cartas de suscetibilidade e risco por erosão e escorregamento já existentes no estado de São Paulo, sendo identificados 3 grandes grupos: cartas geotécnicas, cartas de suscetibilidade e mapeamento de risco. Dentro dos grupos cartográficos de risco e suscetibilidade, foram ressaltados os trabalhos que abarcaram feições erosivas nos seus resultados, por serem os processos erosivos o ponto central de nosso trabalho de pesquisa. Este levantamento favoreceu a escolha da análise multicritérios no desenvolvimento de nossa proposta metodológica.

Na sequência, procedeu-se à caracterização do meio físico da microbacia do córrego Mineirinho, na cidade de São Carlos - SP, por meio da seleção de variáveis topográficas, antrópicas e geotécnicas considerados importantes no desenvolvimento de processos erosivos. Foram escolhidas: a declividade, a curvatura das vertentes, a cobertura e uso da terra, a variação vertical das texturas dos materiais inconsolidados, assim como os parâmetros geotécnicos de resistência à penetração, coesão, ângulo de atrito e massa especifica para cada material, por considerá-los relevantes no contexto desta pesquisa. Para a avaliação das características geotécnicas dos materiais superficiais ocorrentes na bacia estudada, foram realizados ensaios laboratoriais (granulometria, densidade, caracterização) e in situ de resistência à penetração. Para este ensaio foi utilizado o penetrômetro de impacto de STOLF. O levantamento de dados foi completado com a coleta de dados pré-existentes de sondagens, poços e ensaios de trabalhos prévios realizados na região de estudo, constituindo o primeiro esforço para criação de um banco de dados geológico-geotécnico no Departamento de Engenharia Civil (DECiv) da Universidade Federal de São carlos (UFSCar).

Finalmente, foi gerada a carta de suscetibilidade à erosão em escala 1:15.000 da microbacia do córrego Mineirinho, com detalhe (escala 1:2.000) em uma região que apresenta atualmente desenvolvimento de erosões. Obteve-se como resultado a predominância da classe de "suscetibilidade alta", delimitando corretamente as áreas mais degradadas, o que confirma a influência das características dos fatores condicionantes avaliados (topográficos, texturais, geotécnicos e antropogênicos) na potencialização de feições erosivas.

Referências

ABREU, A. E. S. Mapeamento Geotécnico para gestão municipal: Abordagem combinando três métodos distintos e sua aplicação em Analândia (SP). 2006. 217p. Dissertação (Mestrado em Engenharia em Geotecnia) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidad de São Paulo, São Carlos, 2007.

AGUIAR, R.L. Mapeamento geotécnico da área de expansão urbana de São Carlos – SP: contribuição ao planejamento. Dissertação de Mestrado (Departamento de Geotecnia) Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2v.127p +14mapas. 1989.

ALMEIDA C. Os direitos dos consumidores no caso de vícios construtivos ocultos graves que são capazes de colocar a vida em risco. Jurídico Certo. 7 de dez. 2017. Disponível em: https://juridicocerto.com/p/carlaalmeidaadv/artigos/os-direitos-dos-consumidores-no-caso-de-vicios-construtivos-ocultos-graves-que-sao-capazes-de-colocar-a-vida-em-risco-4176 . Acesso em: 10 mar. 2019.

AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS - ASTM. Annual book of ASTM standards. Section 4, Construction. Vol. 04.08: Soil and Rock; dimension stone; geosynthetics. Philadelphia, 1990.

AOTA, R. K. Mapeamento preliminar para fundações do campus São Carlos da UFSCar, utilizando geotecnologias. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal de São Carlos, 2019, 50p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6122 - Projeto e Execução de Fundações, 108p. ABNT, 2019.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6457 - Amostras de solo -Preparação para ensaios de compactação e ensaios de caracterização, 12p. ABNT, 2016a.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7181 – Análise granulométrica. Rio de Janeiro, 2016.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6484 - Solo: Sondagens de simples reconhecimento com SPT - Método de ensaio, 17p. ABNT, 2001.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8036 - Programação de sondagens de simples reconhecimento dos solos para fundações de edifícios, 3p. ABNT, 1983.

AUGUSTO FILHO, O. Cartas de risco de escorregamentos: Uma proposta metodológica e sua aplicação no município de Ilhabela, SP. 1994, 168 p. Dissertação (mestrado), EPUSP, São Paulo, 1994.

BARTOLOMEU, D. Análise da vulnerabilidade dos recursos hídricos na região urbana de São Carlos (SP) por vazamento em postos de combustíveis, utilizando o método GOD e avaliação dos condicionantes geotécnicos. 2012. 173 p. Dissertação (Mestrado) - Curso de Geotécnica, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2012.

BELTRAME, L.F.S.; GONDIN, L.A.P. & TAYLOR, J.C. Estrutura e compactação na permeabilidade de solos do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira Ciências do Solo, v.5, p.145-149, 1981.

BEN, F.. Utilização do método AHP em decisões de investimento ambiental. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Anais...XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, v. 26, p. 1-8, 2006.

BENINI, R de. M.; MARTIOLI, C.; MENDIONDO, E. M. Uso de SIG Associado ao Método Racional para Previsão de Vazões na Bacia do Córrego do Mineirinho, São Carlos-SP. In: III Simpósio de Recursos Hídricos. Goiânia, 2004. 11 p.

BEUTLER, A.N.; CENTURION, J.F. Compactação do solo no desenvolvimento radicular e na produtividade de soja. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.39, n.6, p.581-8, 2004.

BONUCCELLI, T., DE OLIVERIA, M. M. L., MACIEL, A. M., MUZETI, S., ROHM, S. A. Ensaios de Laboratório de Mecânica dos Solos –Identificação Visual e Tátil. Apostila. Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, SP, 8p. 2004.

BOULET, R. Uma evolução recente da pedologia e suas implicações no conhecimento da gênese do relevo.1992. In: III Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário. Anais...Belo Horizonte: ABEQUA, 1992.

BOWLES, J. E. Foundation Analysis and Design, McGraw-Hill, Inc., New York, 1977.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão n.1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais n. 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo n. 186/2008. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2016. 496 p.

BRASIL. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 139, n. 8, p. 1-74, 11 jan. 2002. PL 634/1975.

BREVIK, E. C., CERDÀ, A., MATAIX-SOLERA, J., PEREG, L., QUINTON, J. N., SIX, J., & VAN OOST, K. The interdisciplinary nature of Soil. Soil v.1, n.1, p. 117-129, 2015.

CÂMARA, K. R. R.; PEREIRA, A. C. Análise de perfis de sondagem SPT e caracterização geotécnica de solos do Município de Natal. HOLOS, v.1/2005, ano 21, p.38-53. 2005.

CARVALHO, D.F. de; DURIGON, V.L.; ANTUNES, M.A.H.; ALMEIDA, W.S. de; OLIVEIRA, P.T.S. de. Predicting soil erosion using Rusle and NDVI time series from TM Landsat 5. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.49, p.215-224, 2014. DOI: 10.1590/S0100-204X2014000300008.

CASAGRANDE, A.A. Compactação e manejo do solo na cultura da cana-de-açúcar. In: MORAES, M.H.; MÜLLER, M.M.L.; FOLONI, J.S.S. (Ed.). Qualidade física do solo: métodos de estudo - sistemas de preparo e manejo do solo. Jaboticabal: FUNEP, 2001. p.150-97.

CERRI, L.E.S.; AKIOSSI, A.; AUGUSTO FILHO, O.; ZAINE, J.E. Cartas e mapas geotécnicos de áreas urbanas: reflexões sobre as escalas de trabalho e proposta de elaboração com o emprego do método do detalhamento progressivo. In: Congresso Brasileiro de geologia de Engenharia, 8, 1996, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ABGE, 1996. v. 2, p. 537-547.

CINTRA, J. C. A. & AOKI, N. Fundações por estacas: projeto geotécnico. [S.l: s.n.], 2010.

COMISIÓN VENEZOLANA DE NORMAS INDUSTRIALES. Norma Técnica Nacional para Edificaciones Sismorresistentes COVENIN 1756-2001. Gaceta Oficial de la República Bolivariana de Venezuela n. 36.635 del 20 de enero de 1999, Versión del 06 de septiembre de 2019. Actualmente en revisión.

CREPANI, E.; MEDEIROS, J. S. de; AZEVEDO, L. G. de; HERNANDEZ FILHO, P.; FLORENZANO, T. G.; DUARTE, V. Curso de sensoriamento remoto aplicado ao zoneamento ecológico-econômico. São José dos Campos: INPE, 2001. 25p.

CUNHA, J.P.A.R.; VIEIRA, L.B.; MAGALHAES, A.C. Resistência mecânica do solo à penetração sob diferentes densidades e teores de água. Engenharia na Agricultura, Viçosa - MG, v.10, n.1-4, p.1-7, 2002.

CULSHAW, M. G.; Price, S. J. The 2010 Hans Cloos lecture: the contribution of urban geology to the development, regeneration and conservation of cities. Bulletin of Engineering Geology and Environment, v.70, n.3. p. 333-376. 2011.

EIRAS, C. G. S. Mapeamento da suscetibilidade a eventos perigosos de natureza geológica e hidrológica em São Carlos - SP. 2017, 194 p. Dissertação (Mestrado) - Curso de Geotecnia, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2017.

FRITTON, D.D. A standard for interpreting soil penetrometer measurements. Soil Science, Baltimore, v.150, n.2, p.542-51, 1990.

GENRO JÚNIOR, S.A.; REINERT, D.J.; REICHERT, J.M. Variabilidade temporal da resistência à penetração de um Latossolo argiloso sob semeadura direta com rotação de culturas. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa - MG, v.28, n.3, p.477-484, 2004.

GEROTO, R. E. Zoneamento preliminar dos solos do campus São Carlos da UFSCar para orientar projetos de fundações. 2005, 70p. Trabalho de Graduação Integrado, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal de São Carlos, 2005.

GIOVANNI JUNIOR, N. Análise e Aplicação de Metodologias de Predição de Processos Erosivos Utilizando SIG na Bacia Hidrográfica do Córrego do Engano, Nova Canãa Paulista - SP. 2019. 164p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”, Ilha Solteira, SP. 2019.

GODOY, N.S. Estimativa da capacidade de carga de estaca a partir de resultados de penetrômetro estático. Palestra. São Carlos (SP): Escola de Engenharia de São Carlos- USP, 1983.

GOUJON, P. Conservation des sols en Afrique et à Madagascar. 1ère partie: les facteurs de l'érosion et l'équation universelle de Wischmeier. Bois & Forets des Tropiques, V.118, p. 3-17, 1968.

GRIEBELER, N. P.; PRUSKI, F. F.; JÚNIOR, MARTINS JÚNIOR, D.; SILVA, D. D. Avaliação de um modelo para a estimativa da lâmina máxima de escoamento superficial. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 25, n. 2, p. 411-417, 2001.

GUERRA, A.J.T. & CUNHA, S.B. Processos erosivos nas encostas. geomorfologia: Uma atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro, Bertrand, 1995. p.149-209

GUIMARÃES, C, FERREIRA, M. D., e PEJON, O. J. Aplicação do penetrômetro de impacto em estudos de processos erosivos na bacia do córrego da Barra em São Pedro - SP. In XI Congresso Nacional de Geotecnia, Coimbra, 2008. Anais ... XI Congresso Nacional de Geotecnia, Lisboa: Sociedade Portuguesa de Geotecnia, 2008.

HASSAN, A. The effects of material parameters on dynamic cone penetrometer results for fine-grained soils and granular materials. 1996. 134 p. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) Oklahoma State University, Stillwater, Oklahoma, 1996.

HILLEL, D. Soil in the environment: crucible of terrestrial life. Elsevier, 2007.

IGBE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE (15 de janeiro de 2016). Áreas dos Municípios. https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/sp/sao-carlos.html. Consultado em 24 de abril de 2018.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS - IPT. Carta geotécnica dos morros de Santos e São Vicente, SP. Publicação IPT n. 1135. São Paulo, 1980.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS - IPT. Mapeamento e diagnóstico das áreas de risco associado a processos de instabilização do terreno nas encostas dos Morros de Santos, SP. Relatório Técnico 77889-205. São Paulo, 2004.

IPT- CPRM (2016). Cartas de suscetibilidade a movimentos gravitacionais de massa e inundações: 1:25.000 (livro eletrônico): nota técnica explicativa / coordenação Omar Yazbek Bitar. -- São Paulo: IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo; Brasília, DF : CPRM – Serviço Geológico do Brasil, 2014.

INSTITUTO DE TERRAS DO ESTADO DE SÃO PAULO (ITESP). Sítios e ‘situantes’: planejamento territorial e cálculo de módulo para assentamentos rurais. 2ª ed. São Paulo: FITESP, 2000.

KARMANN, I.; TEIXEIRA, W.; TOLEDO, M. de; FAIRCHILD, T.; TAIOLI, F. Ciclo da água, água subterrânea e sua açào geológica. In: Decifrando a terra [S.l: s.n.], 2000.

LADEIRA, F.S.B. Paleossolos silicificados na Serra de Itaqueri-Itirapina/SP: subsídios para a reconstituição paleoambiental. 2001. 362 p. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Fisolosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

LAL, R. Soil Erosion in the Tropics: Principles and Management. New York, 1990: McGraw-Hill.

LEPSCH, I. F. Formação e Conservação dos Solos. 2.ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2010. 216 p. ISBN 978-85-7975-008-3

LETEY, J. Relationship between soil physical properties and crop production. Advances in Soil Science, New York, v.1, n.1, p.277-94, 1985.

LIMA, J. M. Relação entre erosão, teor de ferro, parâmetros físicos e mineralógicos de solos da região de Lavras (MG). 1987. 86 p. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas) - Lavras Universidade Federal de Lavras. 1987.

LORANDI, R.; CASTRO, D. M. ; FERES, R. . Carta pedológica das áreas urbana e suburbana de São Carlos (SP). Revista brasileira de cartografia (IMPRESSO), Presidente Prudente (SP), v. 51, n.1, p. 9-15, 1999.

MORAIS, N. Capacidade adaptativa específica do município de São Paulo às mudanças climáticas: uma análise a partir do mapeamento das áreas de risco, sistema de alerta e planos de contingência de Defesa Civil. 2019. 143 p Dissertação de mestrado em Saúde Pública, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

NISHIYAMA, L. Procedimento de mapeamento geotécnico como base para análisesambientais do meio físico, em escala 1:100.000. Aplicação no município de Uberlândia – MG. 1998, 363 f. 2v. Tese (Doutorado), Escola de Engenharia, Universidade de São Paulo, Sao Carlos, 1998.

NORMA ECUATORIANA DE LA CONSTRUCCIÓN. Norma Ecuatoriana de la Construcción – Geotecnia y Cimentaciones, NEC-SE-CG, 2014, 61p.

OLIVEIRA, J.B. & PRADO, H. Levantamento pedológico semi-detalhado do Estado de São Paulo: quadrícula de Ribeirão Preto, Instituto Agronômico de Campinas, Campinas, 1987, 133p.

OLIVEIRA, V.G. Estudo geológico e geotécnico de depósito antropogênico de resíduos na cidade de São Carlos. 2019. 155p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Urbana), Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2019.

PEJON, O. Mapeamento geotécnico da folha de Piracicaba-SP (escala 1: 100.000): Estudo de aspectos metodológicos, de caracterização e de apresentação dos atributos. Tese (Doutorado) - Escola de Engenharia, Universidade de São Paulo, Sao Carlos, 1992.

POESEN, J. Gully erosion and environmental change: importance and research needs. Catena [S.I.]. 2003, v. 50, n. 2-4, p. 91-133.

POLYAKOV, V.O.; NEARING, M.A. Sediment transport in rill flow under deposition and detachment conditions. Catena, v.51, p33-43, 2003.

PONS, N. A. D. Levantamento e diagnóstico geológico-geotécnico de áreas degradadas na cidade de São Carlos-SP, com o auxílio ge geoprocessamento. Tese de Doutorado. USP - São Carlos, 2006.

PROIN/CAPES e UNESP/IGCE. Material Didático: arquivos de transparências (CD). Rio Claro: Departamento de Geologia Aplicada, 1999.

PRANDINI, F.L.; NAKAZAWA, V.A.; FREITAS, C.G.L. & DINIZ, N.C. Cartografia geotécnica nos planos diretores regionais e municipais. In: BITAR, O.Y. (Coord.). Curso de geologia aplicada ao meio ambiente. São Paulo: Associação Brasileira de Geologia de Engenharia (ABGE) e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), 1995. cap. 4.4, p.187-202.

PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO. PMRJ.Decreto 35.127 de 16 de fevereiro de 2012. Dispõe sobre a obrigatoriedade de entrega de cadastro digitalizado das redes e/ou instalações existentes no subsolo da cidade do Rio de Janeiro e dá outras providências. Por fim, as diretrizes do Plano Diretor da Cidade do Rio de Janeiro – Lei Complementar n° 111, de 1º de fevereiro de 2011. Secretaria do Governo Municipal de Rio de Janeiro, 2012, 78p.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO. PMSP. Decreto 57.707 de 26 de maio de 2017. Dispõe sobre o armazenamento das informações georreferenciadas das redes de infraestrutura. Nos termos da Lei nº 16.255, de 10 de setembro de 2015, que alterou a Lei nº 13.164, de 2 de julho de 2003. Secretaria do Governo Municipal de São Paulo, 2017, 2p.

QUEIROZ NETO, J. P. O papel da pedogênese no modelado do relevo: busca de novos paradigmas. In: Seminário latino americano de geografia física, 6 e Seminário ibero americano de geografia físicA, 2, 2010, Coimbra. Anais[...], Coimbra, 2010, p.1-19.

RADAM BRASIL Folhas SF23/24 – Rio de Janeiro/Vitória. Levantamento de Recursos Naturais V. 32. Rio de Janeiro, 1983. 780 p.

RIDENTE JÚNIOR, J.L. Prevenção e controle da erosão urbana: bacia do Córrego do Limoeiro e do Córrego do Cedro, municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado, SP. 2000, 129p. Dissertação (Mestrado em Geociências), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2000.

RODRIGUES, B. B. Inventário e análise de suscetibilidade aos movimentos de massa gravitacionais e erosões na região de Águas de lindóia - SP – escala 1:10000. 1998. 140p. Dissertação (Mestrado em geotecnia) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 1998.

SAATY, T. How to Make a Decision The Analytic Hierarchy Process. 1970. European Journal of Operational Research, 48, 9-26

SALOMÃO, F.X.T.; IWASA, O.Y. Erosão e a Ocupação rural e Urbana. In: BITAR, O.Y. (Coord.). Curso de geologia aplicada ao meio ambiente. São Paulo: Associação Brasileira de Geologia de Engenharia (ABGE) e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), cap.3.2, p.31-57, 1995.

SÃO CARLOS. Prefeitura Municipal de São Carlos. Plano Diretor do Município de São Carlos. Lei n. 18.053 de 19 de dezembro de 2016.

SCHMITZ, M. et al. Estudio de Microzonificación sísmica de Portoviejo, Ecuador. In: II Congreso Internacional de Geociencia, investigación y tecnologias en ciências de la tierra, Arequipa. Anais... Arequipa: UNSA, 2018a.

SCHMITZ, M. et al. Seismic microzoning study in Portoviejo, Ecuador. In: 2018 Seismology of the Americas, Miami. Anais... Miami:SSA and LACSC, 2018b.

SELBY. M. J. Hillslope materials and processes. Za. ed., Oxford University Press, Oxford, 1993.

SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL - CPRM. Manual de Mapeamento de Perigo e Risco a Movimentos Gravitacionais de Massa. Coordenação: PIMENTEL J., SANTOS, T. DOS. Rio de Janeiro: CPRM, 2018. 74p.

SILVA, A.P.da; IMHOFF, S.C.; TORMENA, C.A.; LEÃO, T.P. Avaliação da compactação de solos florestais. In: GONÇALVES, J.L. de M.; STAPE, J.L. (Ed.). Conservação e cultivo de solos para plantações florestais. Piracicaba: IPEF, 2002. p.352-372.

SILVA, G.J.; VALADÃO JÚNIOR, D.D.; BIANCHINI, A.; AZEVEDO, E.C. de; MAIA, J.C.S. Variação de atributos físico-hídricos em Latossolo Vermelho-Amarelo do cerrado mato-grossense sob diferentes formas de uso. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Campinas, n.32, p.2.135-2.143, 2005.

SINGER, A. Introducción a las amenazas naturales. Evaluación de la amenaza sísmica. Fundación Venezolana de Investigaciones Sismológicas (FUNVISIS). 2012. 39p.

SOIL SCIENCE SOCIETY OF AMERICA - SSSA. Glossary of Soil Science Terms. 2008. 88p.

SOARES, W. C. Banco de dados geológico-geotécnicos com base em sondagens à percussão e uso de SIG: análise espacial da profundidade do lençol freático e do 'N IND.SPT' para obras de fundação em João Pessoa – PB. 2011. 215p.Tese de Doutorado em Geotecnia, Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, 2011.

SOUSA, A. T de. Processo erosivo linear na bacia do córrego Pontinhas em Orizona–GO. 2001. 159 f. Dissertação (Mestrado em Geografia Física) - Instituto de Estudos Sócio Ambientais, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2001.

SOUZA, L. A. Procedimentos para Elaboração de Cartas Geotécnicas no Planejamento Urbano. Revista Brasileira de Cartografia, v.67, n.1, p.141-156, 2015.

STOLF, R.; MURAKAMI, J. H.; BRUGNARO, C.; SILVA, L. G.; Silva, L. C. F.; MARGARIDO, L. A. C. Penetrômetro de impacto Stolf - programa computacional de dados em EXCEL-VBA. Revista Brasileira de Ciência do Solo (Impresso), v. 38, p. 774-782, 2014.

STOLF, R. Teoria e teste experimental de fórmulas de transformação dos dados de penetrômetro de impacto em resistência do solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Campinas, v.15, p.229-235, 1991.

STOLF, R. FERNANDES, J. & FURLANI NETO, V.L.. Recomendação para uso do penetrômetro de impacto. Araras: Kamaq Máquinas e Implementos Agrícolas, s/d. 10p, 1983.

TEXEIRA, A.H; GODOY, N.S. Análise, projeto e execução de fundações rasa, in: HACHICH, W. et al (ed.) Fundações: teoria e prática. São Paulo: Pini, Cap. 7, p. 227-264, 1996.

TORMENA, C.A.; ROLOFF, G. Dinâmica da resistência à penetração de um solo sob plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Campinas, v.20, n.2, p.333-39, 1996.

TORRADO, P.; LEPSCH, I. F.; CASTRO, S. S. Conceitos e aplicações das relações pedologia-geomorfologia em regiões tropicais úmidas. In: VIDAL-TORRADO, P. et al. (Org.). Tópicos em Ciências do Solo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2005. p. 145-192. v. 04, 2005.

TRICART, J. Ecodinâmica. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Superintendência de Recursos Naturais e Meio ambiente. Diretoria Técnica. Rio de Janeiro, p. 97, 1977.

URBAN geology. 2008. Disponível em the Geological Survey of Canada website at: http://gsc.nrcan.gc.ca/urbgeo/index_e.php. Acceso em: 15 set. 2019.

VAZ, C. M P; PRIMAVESI, O; PATRIZZI, V. C; IOSSI, M. F. Influência da Umidade na Resistência do Solo Medida com Penetrômetro de Impacto. São Carlos. EMBRAPA instrumentação agropecuária, 2002. 5 p. Comunicado Técnico nº 51.

VENEZUELA. Ley de Minas. Gaceta Oficial de la República Bolivariana de Venezuela N° 5.382 (Extraordinario), Septiembre 20, 1999.

VENEZUELA. Constitución de la República Bolivariana de Venezuela. Gaceta Oficial de la Rep. Bolivariana de Venezuela n. 36.870, Diciembre 30, 1999. 81p.

VILLAÇA, P. G. H. C. A. Carta geotécnica para orientar projetos de fundações na UFSCar campus de São Carlos. 2011, 40p. Trabalho de Graduação Integrado, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal de São Carlos, 2011.

WINGE, M. Boçoroca in: Glossário Geológico Ilustrado. 2001. Disponível em http://sigep.cprm.gov.br/glossario/ Acesso em 21 de janeiro de 2021.

YAMANOUTH, G.R.B. Análise dos processos erosivos e das técnicas de controle e reabilitação – bacia do córrego Espraiado – São Pedro (SP). v.1, 2003, p.177. Dissertação. (Área de Concentração de Geotecnia). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2003.

ZAINE, J. E. Mapeamento Geológico-geotécnico por meio do método de detalhamento progressivo: Ensaio de Aplicação na área urbana do município de Rio Claro (SP). 2000. 189p. Tese (Doutorado em Geociências). Área de concentração em Geociências e Meio Ambiente, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2000.

ZUQUETTE, L.V. Análise crítica da cartografia geotécnica e proposta metodológica para as condições brasileiras. São Carlos, SP, 1987. Tese de Doutoramento - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo/USP. 1987.

ZUQUETTE, L. V. A importância do mapeamento geotécnico no uso e na ocupação do meio físico: fundamentos e guia para elaboração. 1993. 369p. Tese de Livre Docência – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo, São Carlos, 1993.

ZUQUETTE, L. V. Riscos, desastres e eventos naturais perigosos: Aspectos conceituais na análise e estimativa de riscos. 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier editora Ltda, 2018. V. 1. 290p.

Publicado

2022-06-10 — Atualizado em 2022-06-10

Versões

Como Citar

Osorio Acosta, I. C., & Balestrero Menezes, D. (2022). INVESTIGAÇÃO APLICADA À GESTÃO DE RISCO GEOLOGICO-GEOTECNICO, PARA FINS DE PLANEJAMENTO URBANO. CASO PILOTO: "EROSÃO NA CIDADE DE SÃO CARLOS". Engenharia Urbana Em Debate, 3(1/2), 25–26. Recuperado de https://www.engurbdebate.ufscar.br/index.php/engurbdebate/article/view/66

Edição

Seção

Resumos de teses/Dissertações